Atividade B

Upcycling: construir um brinquedo, utilizando REEE

3º escalão: secundário, profissional , superior

Trabalhos Publicados

Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (Lisboa)

Para a realização do projeto foram utilizados diversos resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos e pilhas provenientes do Depositrão da ESTeSL, alguns trazidos pelos próprios estudantes, que foram usados para a construção do brinquedo, que representa um edifício icónico do Parque das Nações, a Torre Vasco da Gama.
Começando pela base que sustenta a estrutura do projeto utilizou-se uma placa encontrada no contentor à porta da escola, que foi pintada de verde e azul para dar a ideia de relva e rio, respetivamente, elementos esses presentes na zona que rodeia a Torre Vasco da Gama. De seguida usou-se um computador pessoal (desktop) para representar o hotel MYRIAD e as teclas de dois teclados para dar uma ideia de janelos do hotel.
Para a torre, utilizaram-se duas extensões, um esterilizador e um transformador, fonte de alimentação de um portátil, encimado pela bandeira de Portugal. Para a estrutura que lhe confere um perfil de vela enfunada, em homenagem aos navios portugueses que saíram do Tejo para descobrir o mundo, utilizaram-se fois de headphones estragados, para as laterais, e o fio de uma das extensões usadas, para o cabo principal.
Para dar um toque final, foram utilizadas umas pilhas e os fios que restaram do anterior processo para fazer a vedação que separa o rio da pista pedonal encontrada no local.

Descrição dos materiais utilizados:

Dois teclados, um computador desktop, duas extensões, um transformador, quadro pilhas, um esterilizador, vários fios e uma placa de madeira.
Para a execução do trabalho, usou-se tinta de água, pistola de cola quente e os respetivos tubos de cola, cola liquida, tesoura, papel, impressora e computador

Idade dos alunos:

21, 20, 23 e 19

Envolvimento dos alunos:

Os estudantes que participaram na atividade criativa (Adriana Almeida, Gonçalo Ferreira, José Marques e Nuno Alexandre), voluntariaram-se para o efeito, de entre os vários desafios apresentados no âmbito da unidade curricular de Gestão de Resíduos do curso de licenciatura em Saúde Ambiental. Foi dada total autonomia aos estudantes, que realizaram o trabalho nas aulas de tipologia teórico-prática.